16/12/2013

SÃO LUIS BASQUETE SE FILIA À FEDERAÇÃO MARANHENSE DE BASQUETEBOL

ASSEMBLÉIA GERAL DA FMB REELEGE MANOEL CID E FILIA MAIS TRES CLUBES NA FEDERAÇÃO MARANHENSE DE BASQUETE A Assembléia Geral da FMB, realizada na noite dessa segunda feira(16/dez), no Praiamar Hotel, reelegeu por unanimidade o Sr. Manoel Cid Castro (Presidente) e Herbeth Lima (Vice-Presidente), para mais um mandato de quatro anos à frente da FMB. A Assembléia contou com a presença dos seguintes Clubes: Associação Desportiva Pinguim, Associação Desportiva Girassol, Grêmio Oito de Maio, Beto Sport Clube, Associação Desportiva Mirante. Nesta mesma Assembléia Geral, foram aceitas, também por unanimidade, a filiação do São Luis Basquetebol Clube, juntamente com o Jovens Atlético Maranhense e da Associação Fundação de Assistência Criança e Adolescente(A FASCA). A Assembléia Geral também deliberou sobre o Relatório Anual de Atividades e o Calendário de Atividades para 2014.Na foto, o Presidente e Vice, ladeados pelos representantes dos clubes na AGO da FMB.

05/07/2013

SÃO LUIS É CAMPEÃO DA II COPA TAINHA

Num clima de confraternização e amizade, foi assim que aconteceu o jogo final da II Copa Tainha, jogo muito bem disputado entre as equipe do São Luis e Uniceuma. O Uniceuma com uma equipe jovem e aguerrida encarou um adversário mesclado de veteranos e jovens revelações do basquete maranhense.De certo que foi um belo jogo, decidido no último quarto. Na sua segunda edição, a Copa é uma homenagem ao saudoso Carlos Alberto Ferreira Alves Jr.(o Tainha), primeiro presidente da Avabma, árbitro da federação maranhense, e ex-atleta.Seu irmão Paulo d'Ávila Alves agradeceu a lembrança e homenagem, enquanto o Presidente da Avabma, destacou aos participantes e presentes, a importância de Tainha para o basquete maranhense.

27/05/2013

EM PREPARATIVOS PARA O CAMPEONATO MARANHENSES, EQUIPE SUB 14 FAZ AMISTOSO COM JOVENS MARANHENSES

A jovem equipe sub 14 do São Luis Basquete já iniciou sua preparação, visando o campeonato maranhense de 2013. Ao todo foram 04 jogos amistosos. Vitórias frente ao Upaon Açu, Crescimento e Educator. Uma derrota apenas frente à equipe do Jovens Maranhenses. Os atletas sabem que terão que treinar muito para conseguir melhorar. Agora é se dedicar e esperar pelo bons resultados.

07/05/2013

SÃO LUIS VENCE E GARANTE A MEDALHA DE BRONZE

A decisão da medalha de bronze da V Supercopa Nordeste, realizada na manhã de domingo no ginásio do Ipem, entre São Luis e Grêmio 8 de Maio, começou com ambas as equipes errando muito. Talvez pelo fato do desgaste na partida semi final no sábado, as equipes só começaram a pontuar a partir do 2º quarto do jogo. O São Luis, com um rebote defensivo forte, pois tinha três excelentes reboteiros: Mariano, Zuluzinho e Ari, que facilitaram as arrancadas de Beloca e Matheus, concluindo várias bandejas no contra ataque. Impondo uma diferença de quase 20 pontos até o final do 3º quarto, bastou a presença de Pingo na armação do ataque do São Luis, para controlar a vantagem no placar e garantir a medalha de bronze. Parabéns aos dedicados atletas Ari, Beloca, Matheus, Mariano, Amadeu, Franklin, Scabim, Pingo, Marquinhos e Zuluzinho.

03/01/2013

O MONSTRO DA LAGOA DA JANSEN Força e facilidade em rebotear do ala pivô Guilherme, do São Luís, o fizeram ser comparado a Fred Varejinho, MVP da 1ª edição da LDB. O time do São Luís saiu da 2ª edição da LDB sem nenhuma vitória, mas nem por isto a equipe maranhense não teve seus destaques. O jovem Aster Coubert, de apenas 17 anos e um vigor físico impressionante, o pivôzão Julimarr que igualou o recorde de tocos da LDB e terminou a primeira fase da competição na liderança do fundamento, ao lado de outro pivô, Ícaro, da Faculdade 2 de Julho da Bahia, são alguns exemplos. Mas quem mais chamou a atenção de quem acompanhou as partidas do São Luís em BH foi o ala pivô Guilherme Orlando Borges Mota, um monstro na intensa briga dos garrafões. Com 20 anos e 1m96, Guilherme chama a atenção pela facilidade em rebotear dos dois lados da quadra, mesmo sem o físico privilegiado. Ele terminou a 1ª fase da LDB como o 10º reboteiro da competição, com média de 8 rebotes por partida, sendo a metade deles ofensivos. Somente Dú Sommer, da equipe de Limeira, pegou mais rebotes que ele na tábua ofensiva. Quem acompanhou a 1ª edição da LDB e esteve em Belo Horizonte não pôde deixar de comparar o jogador maranhense com Fred Varejinho, MVP da 1ª LDB. Embora de físicos e realidades completamente diferentes, os dois possuem algumas similaridades em seus jogos. Conseguem dominar os rebotes mesmo sem tanta impulsão ou altura, mas compensam estas características com um privilegiado tempo de bola, um grande senso de colocação dentro do garrafão e muita força e explosão. Guilherme contou um pouco de sua história ao Território: Comecei a jogar basquete um pouco tarde, já com 12 anos, lá na quadra da Lagoa da Jansen, um dos pontos turísticos mais importantes de São Luís. Pouco depois o Prof. Hermílio me viu jogar e não demorou para que eu entrasse pro time da Escola São Marcos. Aos 15 anos tive a minha 1ª convocação para a Seleção Maranhense. Depois disto sempre estive na seleção estadual, em todas as categorias, sub 16, 17 e 19. Além de bom jogador, Guilherme enxerga bem suas características de jogo tanto positivas como negativas, e é pontual nos aspectos onde mais tem a evoluir. Antes de tudo tenho que emagrecer, este é o primeiro ponto. E tenho que evoluir muito também na técnica do jogo. Lá em São Luís temos muito pouco intercâmbio, principalmente com os times do sul e sudeste, então acaba que a gente dá uma estagnada técnica. E de qualidade sem dúvida tenho a defesa e a facilidade de pegar rebotes mesmo não sendo tão alto. O ala pivô do São Luís começará agora em 2013 a faculdade de Educação Física, mas isto não quer dizer que o sonho de se tornar jogador profissional de basquete tenha acabado. Vou começar a estudar agora em 2013, vou fazer o curso de Educação Física porque tem que se preparar pro futuro e eu quero trabalhar no esporte. Mas ainda sonho em ser um jogador profissional, em viver do basquete. Lá no Maranhão é complicado porque só temos dois times, o nosso que veio pra LDB e o da Faculdade onde joga quase todo o nosso time. Mas o NBB está expandindo, a 2ª divisão pode ser criada ano que vem, o sonho ainda não acabou. Pra finalizar, Guilherme fala da participação na Liga de Desenvolvimento. Foi uma experiência muito boa pra nós, uma oportunidade única de enfrentar equipes fortíssimas da elite do basquete brasileiro. Como te disse, lá em São Luís não temos muito intercâmbio, então foi um privilégio poder participar. Acho que saímos daqui melhores que entramos, mais fortes, mais conscientes do tanto que temos que crescer, foi um grande aprendizado pra todos nós.